Buscar
  • Jacarandá Comunicação

Regina Misk inaugura seu Ateliê em Belo Horizonte

Atualizado: Mai 3

Casa construída em 1922 abriga novo espaço da designer de tramas na capital mineira





Regina Misk tece, com ousadia e personalidade, a linha de suas obras. De seu ateliê, surgem criações que ressignificam antigas formas de ofícios e conduzem tradição ao encontro harmonioso com o contemporâneo. O tear, o crochê, o tricô e o bordado ganham nova luz, perpetuando a raiz em frutos únicos.


Agora suas criações ganham abrigo seguro, onde os visitantes poderão ver de perto suas coleções, sentir as texturas, ver a cores e o conforto de suas peças, ao mesmo tempo em que descansam no mobiliário exclusivo e que agora terá espaço de sobra na casa para acolher as visitas enquanto acompanham o trabalho do tear de uma artesã, o crescer da malha da crocheteira, o acabamento final de uma peça - cuja construção pode durar até 40 horas - e ver uma encomenda sair para a entrega. “Quero que as pessoas vivenciem o meu trabalho, valorizem os processos e o trabalho manual. Quero que levem para casa um produto com história, que resgata o saber fazer e a memória afetiva”, afirma Regina.


Para isso, Regina usou seu olhar artístico e apurado e se encantou por uma casa construída na década de 1920, no bairro de Barro Preto, região central de Belo Horizonte, e conservou suas características marcadas pela década da primeira remodelação do espaço urbano da cidade e também pelo Modernismo Mineiro. "Buscava uma originalidade nos detalhes da casa: pisos em tacos, azulejos antigos, pé-direito mais alto. Esteticamente, uma casa moderna não combina com meu negócio, uma casa com originalidade e história e com uma arquitetura que encontra-se com o saber antigo como o fazer à mão, tem mais identificação com o que eu proponho", conta Regina.


O projeto é assinado pelo arquiteto Pedro Haruf, que manteve toda a estrutura original da casa, interferindo apenas em alguns ambientes que precisavam de mais atenção, como o banheiro social, por exemplo. A fachada preservada ganhou o nome da designer e dá as boas-vindas calorosas, como a casa de um morador nativo. Regina também teve a ajuda de seu filho e designer Rafael Quick, desde o conceito até a escolha de elementos no design de interiores, mantendo o máximo de originalidade do prédio. “O que eu mais gosto na casa é o pé-direito alto e as três salas integradas, o chão de tábua corrida, as portas altas e largas, típicas de casas centenárias. Mantivemos a fachada como era, apenas restaurando o acabamento e mudando levemente as cores principais. Não interferimos em janelas e pisos, mas trouxemos de volta o estilo antigo dos detalhes decorativos e de revestimentos”, comenta.


A inauguração do Atelier Regina Misk está prevista para acontecer em março, mas não contará com evento especial devido os cuidados que o isolamento social requer. Após abertura, as visitas poderão ocorrer por meio de agendamento dentro do horário comercial, seguindo todas as recomendações de saúde da OMS.


Conheça mais sobre a marca:

www.reginamisk.com.br

@reginamisk

0 visualização0 comentário